09

Jan

O chamado…

Ok! Confesso!!!

Nessa história toda de “balanço de fim de ano” eu estava ainda um pouco sonolenta até agora.

Além de estar sonolenta (ou seria com preguiça de enfrentar a realidade?), eu bem que pretendia ser uma pessoa menos combativa/ativista/incisiva/visceral ou qualquer coisa do tipo nesse ano de 2018… mas então começam a chegar “os chamados”. [Sim… inclusive com direito a trocadilho com o filme de terror mesmo!]

Os tais chamados sempre chegam por um e-mail daqui, por um messenger de lá, por um instagram de cá…

Invariavelmente  enviados por pessoas muito especiais: amigos, companheiros de trabalho, ambientalistas… gente do bem!

Essas pequenas mensagens falam sobre o que andam fazendo por aí (e por aqui) com nossa Mãe Natureza. Raramente as notícias são boas.

Ao ler tais mensagens, me ocorre um misto de felicidade e angústia: felicidade em ver que cada vez mais pessoas se importam e se incomodam com a degradação ambiental e desvalorização da vida; e angústia por um certo grau de perplexidade diante da insistência nos argumentos economicistas, racionais(?), lógicos(?) e matemáticos que AINDA comandam as decisões e as gestões em muitas partes do planeta (inclusive em Fortaleza e no Ceará…).

Trocando em miúdos, estou falando do tal “desenvolvimento econômico a qualquer custo”!

(Sim! “Eles continuam pensando com a Cabeça do Camundongo” – Leia o artigo sobre o assunto clicando aqui)

E é aí onde mora “o terror”!

Terror representado pelas ações pautadas nos interesses econômicos de poucos.

Terror que faço questão de compartilhar com a devida autorização dos amigos cujos nomes prefiro preservar!

 

Num primeiro caso, estou quieta no meu canto quando “plim” uma mensagem no facebook com o seguinte teor:

Olá
Pense num movimento para salvar a Serra (da Ibiapaba)
Vai virar deserto
Mata Atlântica
Estão acabando com tudo
Fauna e flora
2050 já vai estar deserto
O Clima já mudou
 Logo em seguida (coisa de 40 minutos depois) chega o e-mail de um outro amigo mencionando “um jogo da velha” (mas poderia ser Jogos Vorazes) desenhado sobre a foto de um mapa de Fortaleza demonstrando todas as lagoas antes existentes e que foram aterradas para dar lugar ao crescimento, ao progresso e ao desenvolvimento econômico “a qualquer custo”. (Lembrando que o custo ambiental e social somos nós que pagamos!)
——————–
Veja no mapa: onde tem X foram lagoas aterradas
[Fonte: Acervo do DNOCS com manipulação)]
——————–
Eu até poderia citar outras situações mas hoje, 09 de janeiro de 2018, foram essas especialmente que me fizeram sair do estado de sonolência e partir pra ação!
Isso mesmo AÇÃO INDIVIDUAL em favor da coletividade!!!

 

Lógica completamente avessa a esse “mercado” que só sabe pensar com a cabeça do camundongo e atender aos interesses de um ou outro indivíduo em detrimento da coletividade!

E por falar em mercado… quem é esse cara mesmo? Porque é ele que tem que reger nossas vidas?

Quando finalmente teremos planejamentos e gestões pautadas no pertencimento, na igualdade, nas subjetividades humanas, no valor da vida e na FELICIDADE?

Precisamos de disrupção!

Não me venham com “grandes projetos e empreendimentos” que só servem para enfatizar a desigualdade e a infelicidade generalizada!

 

**********************************************

Post dedicado aos amigos queridos que sempre me mandam mensagens que me mantém desperta!

Agradecimento especial ao meu mais novo amigo que gentilmente autorizou a publicação da imagem do mapa!

**********************************************

 

Dica da Maya:

O Siara na Rota Dos Neerlandeses

http://www.bookess.com/read/14473-o-siara-na-rota-dos-neerlandeses/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *