14

Dez

Palavra do ano… palavra de ordem!

Acredito que muitos já tenham visto a notícia de que FEMINISMO foi eleita a palavra do ano de 2017… considerando o número de vezes que foi buscada e mencionada na internet.

Eu arrisco dizer que mais do que a palavra do ano… Feminismo é a nova palavra de ordem!!!

Já que você está aqui, possivelmente é por ser alguém que gosta de ler… então não perderei a oportunidade de compartilhar contigo algumas visões sobre esse tema, que talvez ajudem a dissipar um pouco alguns equívocos de compreensão:

 

1. Feminismo nada tem a ver com superioridade ou supremacia feminina e muito menos tem a ver com mulheres quererem viver, agir e se comportar como homens. O que feministas buscam é igualdade de DIREITOS. Liberdade para ser gente e não produto, mercadoria ou subclasse humana;

2. Como muito bem explicado por Simone de Beauvoir, uma mulher não é um NÃO-HOMEM! Uma mulher é um ser integral e total e sua existência não está condicionada a qualquer situação, posicionamento ou condição imposta socialmente e historicamente pelos homens;

3. Rotular ou classificar mulheres, bem como estabelecer regras quanto aos seus comportamentos é algo típico da sociedade PATRIARCAL. Logo ninguém deve buscar enquadrar “o que é ser feminista”, especialmente as próprias mulheres, pois se fizerem isto, estarão replicando o mesmo modelo opressor, ditatorial e violento do machismo.

4. Para deixar mais claro o item 3: vai ter feminista de batom vermelho… vai ter feminista que não se depila… vai ter feminista sem sutiã e com os peitos caídos… vai ter feminista bem “mulherzinha e patricinha”… vai ter feminista a favor do aborto… vai ter feminista contra o aborto… vai ter feminista conservadora e religiosa… vai ter feminista rebolando bem na sua cara… E Sabe por quê? Porque o corpo é de cada uma e as regras sobre ele também!!!

5. Aos homens que hoje (ainda) estão em maioria no comando dos negócios, nos processos decisórios, nas instituições públicas e privadas e na política… informo que não estão fazendo qualquer favor ao “abrir oportunidades para mulheres”. Nós estamos indo buscar o que é nosso e vocês não precisam se preocupar em “ser cavalheiros” ok? Não queremos cotas nem “presença mínima”! O que estamos buscando é um Planeta 50-50 resgatando os lugares que deveriam pertencer a nós desde sempre! (Mas foram usurpados)

6. Você não precisa ter medo de demonstrar empatia pela causa feminista. Não precisam ter medo de serem pessoas despertas e conscientes de toda essa atrocidade. Não precisam ter medo de mulheres feministas. Não somos mulheres brutalizadas apesar de toda ênfase e eloquência de nosso discurso. Violenta mesmo tem sido a sociedade machista contra nós e não há qualquer erro ou injustiça em lutar para ter direitos humanos, direito à voz, direito ao corpo, direitos reprodutivos… e tantos outros a nós negados.

7. NUNCA, NUNCA MESMO julgue ou critique uma mulher por não “ser feminista”. Algumas simplesmente não despertaram… algumas estão amordaçadas pela necessidade… algumas estão tão violentadas que tornaram-se dormentes… e outras escolheram não ser! Logo, você nunca irá saber suas motivações… portanto APENAS NÃO JULGUE!

8. Homens conscientes não se reprimam em manifestar apoio a essa luta… mas NUNCA TENTEM FALAR POR NÓS (e muito menos “nos dar” a palavra), por melhor que seja a sua intenção. O feminismo é algo muito mais SENTIDO do que RACIONALIZADO e até mesmo se você for gay você nunca saberá o que é SE SENTIR MULHER (salvo exceção no caso das trans cuja situação é bem mais complexa). E talvez seja esse SENTIR que nos levará a construir um mundo mais justo para todos daqui pra frente.

9. Por fim… se você se sentiu ofendido ou incomodado com qualquer um desses pontos procure ajuda médica, psicológica, espiritual ou quem sabe intelectual. 

 

Ninguém em sã consciência deveria se ofender com o que é justo, humano e necessário.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *