32 C°

.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

O Estado Verde

Eusébio recolhe 155 toneladas de resíduos em sete meses de programa

terça-feira, 19 de janeiro 2016

Sistema de coleta seletiva de Eusébio recolheu 155 toneladas de resíduos sólidos em sete meses de atuação. Projeto, lançado em maio de 2015, está atendendo 55% da região, mas a meta é expandir a prática para todo o município. O trabalho vem sendo coordenado pela Autarquia Municipal de Meio Ambiente e Controle Urbano (Amma), com consultoria da Fundação Alphaville.

coleta seletiva-

A coleta atende 55% do município, mas a expectativa é que no período de um ano, o programa atenda todos os bairros e localidades de Eusébio. Atualmente, o trabalho vem sendo realizado nos bairros do Jabuti, Santo Antônio, Santa Clara, Urucunema, Parque Havaí, Centro, Lagoinha, Mangabeira, Precabura e Cararu, atendendo um total de 27.917 habitantes.

A capacidade total de coleta de resíduos prevista para esses bairros não alcançou nem 10%. De acordo com estudos realizados pela Fundação parceira, as comunidades já cobertas pelo sistema têm capacidade de gerar 65 toneladas de lixo, por semana, e atualmente são recolhidos, em média, 25 mil toneladas, por mês.

Todo material coletado é processado e comercializado com empresas locais de reciclagem de lixo, gerando renda para 13 famílias de integrantes da Associação de Catadores e Catadoras de Eusébio (Acceu). O trabalho de triagem poderá proporcionar um ganho 80% maior do que a coleta dos materiais nas ruas, além de melhor as condições de segurança e higiene dos catadores.

Mínimo mensal

Segundo a coordenadora da Coleta Seletiva e do Departamento de Educação Ambiental da Amma, Stella Barros, os catadores chegam a receber até um salário mínimo por mês com o material coletado. Disse, também, que a evolução mês a mês, no total de resíduos coletados é resultado do trabalho de educação ambiental, junto à população, realizado pelos próprios catadores, alunos do Projeto Jovens Sustentáveis, da Fundação Alphaville, alunos da rede municipal e do Instituto de Educação Portal (IEP), além de servidores da Amma.

“As equipes estão indo de casa em casa levando material de divulgação com o que pode e deve ser reciclado e um saco para o acondicionamento do material. Esse trabalho é contínuo e deverá prosseguir por todo o ano de 2016, até que todas as famílias possam ser integradas ao sistema”, destaca. Perguntamos quanto a Prefeitura gasta do orçamento municipal com educação ambiental, mas não foi respondido.

Pnea-Lei 9.795/99

De acordo com a Política Nacional de Educação Ambiental (PNEA) ou Lei 9.795/99, todos têm direito à educação ambiental, e cabe ao poder público promover o engajamento da sociedade para a melhoria da qualidade ambiental. Segundo a lei, entende-se por educação ambiental, “processos por meio dos quais o indivíduo e a coletividade constroem valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação do meio ambiente, bem de uso comum do povo, essencial à sadia qualidade de vida e sua sustentabilidade”.

Não recicláveis

A coordenadora esclareceu que a Marquise, empresa que recolhe o lixo da cidade, está trabalhando em comum acordo com a Amma e não coleta os recicláveis, apenas os demais resíduos. Ela observa que é importante que as pessoas atentem para as orientações contidas no material informativo distribuído para auxiliar no trabalho dos coletores.

Para facilitar ainda mais o trabalho e a adesão da população, a Fundação Alphaville, parceira do programa, doou 20 mil sacos de ráfia de 100 litros, para a população acondicionar os materiais recicláveis e também, ofereceu uma consultoria especializada para apoiar a Prefeitura na reestruturação do programa.

Pesquisa ciclosoft

O sistema coloca o Eusébio entre os poucos municípios brasileiros que contam com um sistema de coleta seletiva. De acordo com a Pesquisa Ciclosoft 2014, realizada a cada dois anos pelo Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre), 927 cidades praticam algum tipo de coleta – o que representa 17% do total de municípios -, mas apenas 28 milhões de pessoas conseguem usar o serviço. Dos que adotaram a pesquisa, 80% utilizam o modelo de coleta porta a porta e 45% possuem Postos de Entrega Voluntária (PEVs).

Da Redação
Do OeV*

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com