32 C°

.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Economia

BNDES investe R$ 12 milhões em estudo no Sudeste

quarta-feira, 05 de junho 2024

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) está investindo R$ 12 milhões em estudos sobre os usos dos ambientes marinho, costeiro e oceânico nos estados do Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo. O objetivo é elaborar um planejamento econômico marítimo para essas regiões. Esses recursos fazem parte do Planejamento Espacial Marítimo (PEM) da Região Sudeste, que representa cerca de 82% da economia oceânica brasileira, conhecida como economia azul, incluindo atividades como óleo e gás, portos e turismo.
A região, rica em biodiversidade e recursos, faz parte da Amazônia Azul, que cobre aproximadamente 5,7 milhões de quilômetros quadrados. Esta área abrange a superfície do mar, as águas que cobrem o leito marinho, o solo e o subsolo marinhos, dentro da extensão atlântica que se estende do litoral até o limite exterior da Plataforma Continental brasileira, conforme a Marinha do Brasil. Cerca de 95% do comércio exterior do Brasil é realizado pelo mar, representando 20% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional e 25% dos empregos.
Para executar o planejamento econômico marítimo do Sudeste, o BNDES selecionou o consórcio Sudeste Azul, composto pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e pela empresa Environpact Sustentabilidade. Os recursos não reembolsáveis do Fundo de Estruturação de Projetos do BNDES serão aplicados ao longo de 36 meses.
O PEM é uma ferramenta de mapeamento do mar que visa organizar os recursos atuais e potenciais, integrar diferentes agentes socioeconômicos e proporcionar segurança jurídica e soberania nacional. O objetivo é fornecer ao Estado brasileiro dados precisos para o uso sustentável da costa.
Segundo o BNDES, a economia azul contribui com 18,3% do PIB do Rio de Janeiro, 13,7% do PIB do Espírito Santo e 0,9% do PIB de São Paulo. O projeto inclui a identificação de lacunas em investimentos e informações sobre pesca industrial e artesanal, agricultura, exploração de petróleo e gás, mineração, navegação e portos, segurança e proteção, turismo, energias renováveis e meio ambiente. Serão elaborados mapas que incluem restrições legais e ambientais.
O projeto de mapeamento do potencial marinho da costa brasileira começou em fevereiro deste ano, com a seleção da empresa Codex Remote para desenvolver o PEM na região Sul do Brasil. Esta iniciativa conta com um financiamento de R$ 7 milhões não reembolsáveis do BNDES. Até 2030, além das regiões Sul e Sudeste, o PEM deverá ser implementado nas regiões Norte e Nordeste do Brasil.
Em janeiro deste ano, o BNDES lançou a iniciativa “BNDES Azul”, que visa promover o desenvolvimento da economia azul no Brasil, com investimentos voltados para pesquisas sobre os possíveis usos do mar na descarbonização da frota naval e na infraestrutura portuária, por meio do Planejamento Espacial Marinho.
O projeto da Amazônia Azul, além de ser crucial para a preservação ambiental, busca fortalecer a economia nacional, aproveitando os vastos recursos marítimos do país de maneira sustentável e organizada. A expectativa é que, com a implementação do PEM, o Brasil possa maximizar o uso de seus recursos oceânicos, garantindo um desenvolvimento econômico equilibrado e ambientalmente responsável.

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com