32 C°

9 fevereiro 2024.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Economia

Safra de grãos 23/24 será abaixo da colheita anterior

sexta-feira, 09 de fevereiro 2024

A colheita de grãos na safra 2023/2024 será 6% menor do que o total colhido no período anterior. A previsão foi divulgada nessa quinta-feira (8) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que é vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar. Em números absolutos, segundo os técnicos da Conab, na safra atual os produtores rurais devem colher cerca de 299,8 milhões de toneladas. Na passada, 2022/2023, foram colhidas 319,8 milhões de toneladas de grãos, o que significará queda de 17,7 milhões de toneladas em relação à estimativa inicial, divulgada em outubro de 2023. O primeiro levantamento sobre a atual safra, a Conab indicou a possibilidade da produção alcançar 317,5 milhões de toneladas, volume que, mesmo que atingido, representaria ligeiro recuo em comparação ao resultado efetivo anterior. De acordo com a Companhia, as variações climáticas afetaram negativamente as lavouras nas principais regiões produtoras, como no Centro-Oeste e Sudeste e na área conhecida como Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), principalmente as de soja e milho. A estimativa é que a produção de soja atinja 149,4 milhões de toneladas, resultado que, se confirmado, será 3,4% inferior ao volume obtido no ciclo 2022/23 e 7,8% menor que as 162 milhões de toneladas que a Conab estimava. As exportações da oleaginosa também devem ser reduzidas em 4,29 milhões de toneladas, saindo de 98,45 milhões de toneladas para 94,16 milhões de toneladas. A Conab também atualizou a expectativa quanto à colheita de milho, que não deve ultrapassar 113,7 milhões de toneladas. As vendas desse grão no mercado internacional também foram ajustadas em três milhões de toneladas. Com isso, os embarques do cereal devem chegar a 32 milhões de toneladas, enquanto a demanda doméstica está estimada em 84,1 milhões de toneladas. Adversidades climáticas, como ondas de calor e a má distribuição das chuvas, também devem prejudicar a produção de feijão, com previsão de 2,97 milhões de toneladas. Embora tenham chegado a afetar a lavoura do arroz, os reflexos do El Niño não gerou perdas até o momento nesta safra. A produção está estimada em 10,8 milhões de toneladas, 7,6% acima da produção da safra anterior. Alta também para o algodão. A estimativa é que o país estabeleça um novo recorde para a produção da pluma, chegando a 3,3 milhões de toneladas. O preço da commodity e as perspectivas de comercialização refletiram no aumento de área de plantio, que apresenta crescimento de 12,8% sobre a safra 2022/23. (Com Agência Brasil)

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com