32 C°

sexta-feira, 1 de julho de 2022.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Geral

Camilo Santana lamenta greve e garante volta à normalidade

terça-feira, 03 de março 2020

O governador Camilo Santana (PT) concedeu entrevista coletiva, ontem, no Palácio da Abolição, onde abordou o encerramento do motim ocorrido no Ceará, quando policiais militares reivindicavam reajuste salarial e paralisaram os trabalhos por 13 dias. O gestor estadual lamentou o ocorrido e afirmou que a greve foi inaceitável, pois o governo sempre prezou pelo diálogo. “Negociamos com as entidades representativas, chegamos a um acordo e todos comemoraram os reajustes até 2022. Mas, lamentavelmente, quebraram o acordo e, então, eles [os policiais] se amotinaram e geraram toda essa situação grave, aqui, no Estado”, comentou.


É importante ressaltar que não foram todos os policiais militares que aderiram ao movimento. Ainda ontem (2), todos os grevistas compareceram, pela manhã, aos quartéis. “Agora, é um momento da retomada de todos para garantir a normalidade do combate à violência”, exclamou Camilo.

Reparos
Batalhões já foram desocupados e as viaturas, antes impedidas de circular, estão aos poucos voltando às ruas. Alguns veículos, no entanto, foram danificados e estão sendo reparados. O Governador não soube precisar o número exato, mas garantiu que, em breve, todos estarão funcionando normalmente. Enquanto isso, o Exército Brasileiro continuará atuando por terras cearenses até o fim do decreto da Garantia da Lei e da Ordem (GLO), com validade prevista até a próxima sexta-feira (6).
Camilo Santana detalhou que todos que envolvidos nos movimentos estarão sob a mira da lei, criticou a partidarização da PM, referindo-se às lideranças políticas que atuaram junto aos militares na paralisação. “Esses motins foram atos partidários, são filiados a partidos”. Para ele, a anistia sugerida pelos grevistas sempre foi inegociável e o tema deve ser discutido, inclusive, pelo Congresso Nacional, para que outros estados não passem por situações semelhantes às que ocorreram no Ceará.
“Todas as medidas serão feitas para restabelecer a segurança. O Ceará tem sido referência para os demais estados, com a maior redução de homicídios no Brasil”, revelou. “Tivemos uma união de forças. Queria agradecer à maioria da tropa militar, pois não aderiram à greve, aos policiais civis que trabalharam arduamente, ao Exército, bombeiros e toda a Força Nacional, toda essa gente trabalhou em prol da segurança cearense”.

Cid Gomes
O governador elogiou a atitude do senador Cid Gomes (PDT), que, segundo Camilo, foi um gesto de indignação. “Uma pessoa que vê sua cidade natal ficar a mercê de policiais mascarados, encapuzados, mandando fechar o comércio, traria muita revolta a qualquer um de nós. Posso dizer que Cid Gomes é um homem de bem, um dos melhores governadores que este estado já teve. Agiu daquela maneira e fez aquilo como um cidadão indignado”, reconheceu.

Projetos
A proposta de reestruturação da carreira dos agentes da Polícia Militar já está tramitando. O gestor estadual revelou que os ajustes de percentuais entre patentes serão feitos na Assembleia. “O que foi acordado é o projeto de lei que está na AL. Lá é o fórum para fazer qualquer debate. Qualquer mudança que [a proposta] poderá sofrer será dentro de um limite orçamentário [R$ 495 milhões a serem investidos até 2022] enviado para avaliação”, esclareceu. A proposta do Governo estadual garante aumento do salário-base de um soldado dos atuais R$ 3,2 mil para R$ 4,5 mil até 2022. O valor, segundo Camilo, poderá sofrer alterações, a depender dos reajustes nos percentuais das patentes.

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com