32 C°

.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Geral

Fortal em terreno do aeroporto causará desmatamento, diz vereador

quinta-feira, 09 de maio 2024

O vereador Gabriel Aguiar (PSOL) publicou um vídeo em suas redes sociais denunciando uma série de possíveis problemas envolvendo a realização do Fortal em um terreno localizado próximo ao Aeroporto de Fortaleza. A mudança do espaço onde ocorrerá a festa foi anunciada pela organização do evento no final de abril. Na época, os responsáveis ressaltaram que a escolha do local contou com meses de estudos e com o planejamento de diferentes órgãos. No entanto, segundo o parlamentar, 20 hectares de floresta seriam desmatados.“Temos uma luta grande aqui no nosso gabinete contra a nova localização do Fortal, a ser instalado no terreno do aeroporto, derrubando uma zona enorme de Mata Atlântica”, afirma Aguiar.

De acordo com ele, a zona é protegida pela Lei Federal da Mata Atlântica, criada em 2006 com o objetivo de assegurar direitos e deveres dos cidadãos e de órgãos públicos sobre a exploração consciente dos recursos do bioma. A legislação proíbe o desmatamento de mata primária ou secundária em estado avançado de recuperação, o que, segundo o vereador, aparenta ser o caso do ambiente em questão.“É uma zona de floresta, de mata fechada, que podemos entender como mais de 20 campos de futebol. Se trata de uma floresta densa, de grande porte, com árvores adultas com décadas de idade, que se concentram nessa região do aeroporto e abrigam uma riqueza de fauna muito grande”.


Aguiar ressalta que a área é um dos últimos reservatórios da biodiversidade de Fortaleza. “O Fortal pode e deve acontecer em outro local da cidade sem esse gigantesco impacto”, argumenta o vereador, que lançou uma campanha pedindo que a população se manifeste contrariamente à realização da festa nos termos atuais.


O parlamentar lembra que espaços como este contribuem com benefícios para a cidade, entre eles, a diminuição da temperatura, a manutenção da fauna e da flora, a redução de alagamentos e o aumento da ventilação. “A megaestrutura do Fortal, uma festa de quatro dias, precisaria desmatar essa floresta e perderíamos de vez a sucessão ambiental que levou décadas para chegar no ponto que está. Não consideramos isso razoável. Não é nada contra o evento em si, mas a alegria do Fortal não combina em nada com o terror do desmatamento, sobretudo diante dos extremos climáticos que a gente tem visto no Brasil”, pontua.


Além da questão ambiental, Gabriel Aguiar cita eventuais riscos à população por estar em um local próximo a pistas de decolagem e pouso de aeronaves. “Tem um perigo com os canhões de luz, com fogos de artifício, com drones que geralmente voam nesses locais e com a segurança pública pela grande quantidade de pessoas circulando. Há a possibilidade de engarrafamentos, conflitos para a gestão dos voos e uma série de outras preocupações”, detalha.


No vídeo, o parlamentar relata que diversos órgãos públicos foram oficiados para pedir esclarecimentos sobre os problemas apresentados. O Jornal O Estado procurou a Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma) que afirmou, em nota, não ter recebido “nenhum ofício referente ao assunto mencionado”. A Fraport, empresa responsável pela administração do aeroporto da capital cearense, por sua vez, disse que “O Fortal está em contato com todos os órgãos competentes para obtenção das licenças e autorizações necessárias para a atividade” e garantiu que segue “rigorosamente todas as normas e legislações ambientais”.

A organização do Fortal pontuou, em nota, que a escolha do novo local “buscou um espaço possível e adequado, sempre respeitando a legislação ambiental e urbanística em vigor e com todas as licenças necessárias”. “A área escolhida é privada, não está inserida em zona de preservação , porém, tendo sido uma preocupação da organização do evento, a recuperação e a revitalização do local , respeitando as características da região , onde será mantido o Patrimônio Verde nativo do terreno”, garantiu.

No comunicado, os organizadores revelaram manter “uma agenda constante de alinhamentos com órgãos públicos, como a Secretaria de Segurança Pública, Polícia Rodoviária Estadual (PRE), Detran, AMC, Sema, Seuma, Semace e o cumprimento de um cronograma de reuniões que estão sendo agendadas com os demais instituições de impacto direto”. “O Fortal reforça seu compromisso com o Ceará, levando não somente alegria ao seu público, mas também desenvolvimento econômico e social para todos os trabalhadores que são beneficiados direta e indiretamente, sempre com toda responsabilidade de um evento firme, sério e reconhecido nacionalmente”.

A Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) foi procurada pela reportagem, mas, até o momento de publicação desta matéria, não havia respondido às solicitações.

Por Yasmim Rodrigues

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com