32 C°

.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Geral

Representantes do Consórcio Santa Quitéria ministram palestra na Academia Cearense de Engenharia, em Fortaleza

terça-feira, 23 de abril 2024

A Academia Cearense de Engenharia – ACE, localizada na Praia de Iracema, em Fortaleza, recebeu na semana passada os representantes do Consórcio Santa Quitéria para ministrar a palestra “Projeto Santa Quitéria/Itataia – O desenvolvimento da rota tecnológica e a importância estratégica para o Brasil”. O encontro contou com o apoio do Sindicato dos Engenheiros do Estado do Ceará – Senge.

Participaram do encontro Christiano Brandão, gerente corporativo de licenciamento e meio ambiente da Galvani, empresa integrante do Consórcio Santa Quitéria; Laurence Galvani, diretor de Engenharia da Galvani; e o representante da Indústrias Nucleares do Brasil – INB, empresa também integrante do Consórcio Santa Quitéria, José Roberto Alcantara e Silva.

“Esse foi mais um importante momento para apresentar, detalhar e passar informações corretas sobre o Projeto Santa Quitéria. É nosso dever estarmos abertos ao diálogo e informar a sociedade civil sobre esse Projeto”, afirmou Christiano Brandão, Gerente Corporativo de Licenciamento e Meio-Ambiente da Galvani.

Durante a palestra, dois dos representantes do Consórcio Santa Quitéria apresentaram detalhes técnicos da rota tecnológica do Projeto, estruturas e processos, a redução do consumo e reutilização de água, o beneficiamento mineral, a separação do urânio e o controle de emissões, dentre outros pontos. Os status atuais dos processos de licenciamentos ambiental e nuclear, junto ao Ibama e Comissão Nacional de Energia Nuclear – CNEN, respectivamente, também foram pontuados.

“Tivemos a oportunidade de apresentar com mais detalhes a rota tecnológica desenvolvida para o beneficiamento do Projeto Santa Quitéria. Vale destacar que a Comissão Nacional de Energia Nuclear já concedeu a autorização da área minero-industrial do Projeto, o que valida a segurança da rota desenvolvida para a Comissão”, afirma Laurence Galvani, Diretor de Engenharia da Galvani.

Engenheiros, acadêmicos, profissionais e representantes da sociedade civil, órgãos e lideranças, estiveram presentes na sede da ACE. Entre os presentes, estiveram Ronaldo Borges e Sérgio Araújo, da Secretaria da Infraestrutura do Estado do Ceará – Seinfra; o membro da comissão especial do direito minerário da OAB nacional, Tomás Figueiredo Filho; e o vice-presidente do Sindicato dos Engenheiros do Ceará, Vicente Melo Lima.

O presidente da Academia Cearense de Engenharia – ACE, Flávio Barreto, pontuou que a academia promove palestras mensais sobre temas de interesse e relevância da sociedade, portando um colegiado de larga experiência e formadora de opiniões, e que a palestra sobre o Projeto Santa Quitéria foi “tecnicamente bem repassada, completa para a devida compreensão dos presentes”.

Já Victor Cesar Pinto, ex-presidente da ACE, destacou os avanços tecnológicos do projeto. “Foi mostrado que, com o passar do tempo, fruto de novos estudos, pesquisas, o Projeto evoluiu para o desenvolvimento de uma moderna concepção de exploração, com o foco a atender as necessidades do segmento de fertilizantes tão essencial para o Brasil. Foi observado a preocupação em contemplar com mais cuidado a preservação do meio-ambiente com segurança e responsabilidade social, onde destaco a eliminação da ‘barragem de rejeito’ do projeto inicial”, analisou.

Sobre o Projeto Santa Quitéria
Desenvolvido pelo Consórcio Santa Quitéria, formado pela Galvani e pela Indústrias Nucleares do Brasil (INB), o Projeto Santa Quitéria prevê a construção e a operação de um complexo mineroindustrial para produzir anualmente cerca de 1,05 milhão de toneladas de adubos fosfatados e 220 mil toneladas de fosfato bicálcico, o que corresponde a 99,8% da produção prevista. Cerca de 2,3 mil toneladas de urânio em seu estado natural (sem enriquecimento) também serão produzidas anualmente, o que equivale a apenas 0,2% do material que será produzido pelo empreendimento. Estratégico para diminuir a dependência brasileira de importação de fertilizantes, e com grande importância na segurança alimentar do país, o Projeto Santa Quitéria tem investimento estimado em R$ 2,3 bilhões e, quando estiver em operação, irá gerar cerca de 2,8 mil empregos diretos e indiretos

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com