32 C°

.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Mundo

Autoridades europeias acusam Hungria de barrar ajuda à Ucrânia

terça-feira, 28 de maio 2024

Ministros de Relações Exteriores da União Europeia (UE) pediram, nesta segunda-feira, 27, que o governo húngaro pare de bloquear uma ajuda bilionária que outras nações do bloco desejam enviar para auxiliar a Ucrânia na guerra contra a Rússia. Mesmo antes do encontro, que reuniu 27 ministros da UE, Gabrielius Landsbergis, da Lituânia, acusou a Hungria de bloquear sistematicamente as posições de política externa do grupo. “Quase todas as nossas discussões e soluções e decisões necessárias por parte da UE estão sendo bloqueadas por apenas um país”, informou aos jornalistas.
O principal diplomata da Lituânia afirmou ser necessário enxergar que tal abordagem estava sendo aplicada “em relação a quaisquer esforços da UE para ter um papel diplomático significativo”. Estônia e Itália também se mostraram insatisfeitas com as táticas empregadas por Budapeste. “Somos contra o bloqueio. Queremos seguir em frente”, garantiu o italiano Antonio Tajani. Diversas autoridades argumentam que, muitas vezes, as decisões húngaras estão alinhadas com os interesses russos, mas o país garante estar defendendo a paz.
Conforme diplomatas, dentro da sala os ministros expressaram a frustração com o assunto e pediram ao representante húngaro, Peter Szijjarto, que levantasse os bloqueios aos pacotes que chegam à aproximadamente 6,5 bilhões de euros em ajuda militar ao ucranianos, que estão enfrentando as forças do governo de Vladimir Putin desde fevereiro de 2022. “Os ânimos estavam bastante exaltados”, relatou à mídia internacional uma testemunha que teve acesso às discussões. Diversas autoridades confirmaram que o debate estava entre as mais acirradas dos últimos anos entre os ministros das Relações Exteriores da UE.
Quando o tema é política externa, para que a União Europeia tome uma decisão, é necessário que haja unanimidade entre os 27 Estados-Membros. Em uma postagem feita nas redes sociais, Szijjarto afirmou que colegas “criaram uma cena, mas isso não poderia mudar a nossa posição, independentemente do que gritam os políticos favoráveis à guerra”.
De acordo com Landsbergis, além de bloquear a ajuda militar, a Hungria também está dificultando o início das discussões sobre a adesão ao bloco de países como Ucrânia, Geórgia e Armênia. “Analisamos isto e aparentemente cerca de 41% das resoluções da UE sobre a Ucrânia foram bloqueadas pela Hungria”, pontuou o diplomata. “Temos que encontrar uma maneira, realmente, como comunidade, de contornar isso”, destacou.

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com