32 C°

.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Mundo

Calor extremo mata mais de mil pessoas em peregrinação para Meca

sexta-feira, 21 de junho 2024

O número de mortos ultrapassa a marca de mil fiéis. Vários países relatam vítimas do calor extremo durante a caminhada para Meca

Fiéis estão socorridos em hospitais da região/Fadel Senna/ AFP

Em um balanço atualizado nesta quinta-feira, 20, a AFP informou que, neste ano, mais de mil pessoas morreram enquanto faziam a peregrinação anual para a cidade de Meca, na Arábia Saudita, devido ao calor intenso.

Mais da metade eram peregrinos não registrados. Ao todo, 658 egípcios faleceram em tais circunstâncias. Destes, 630 estavam em situação irregular no país que, todos os anos, distribui um determinado número de vistos por nacionalidade em razão da peregrinação, que é um dos cinco pilares da religião islâmica.

Foram 1.081 falecidos de quase dez países diferentes. A contagem foi feita com base em comunicados oficiais ou de acordo com diplomatas das nações afetadas. A peregrinação ocorre conforme o calendário lunar islâmico e, neste ano, aconteceu poucos dias antes do início do verão saudita. Nesta semana, o Centro Nacional Meteorológico informou que as temperaturas registradas na Grande Mesquita de Meca, chegaram a 51,8ºC.

Para conceder os vistos, considerando que a viagem à Meca deve ser feita por todos os muçulmanos com recursos suficientes pelo menos uma vez, a Arábia Saudita dispõe de um sistema de cotas. Mesmo assim, anualmente dezenas de milhares de pessoas chegam ao reino por meios irregulares por não terem dinheiro para custear os trâmites oficiais.

Tal público é mais vulnerável ao calor extremo, pois, sem a documentação oficial, não conseguem ter acesso aos espaços com ar-condicionado que são disponibilizados pelas autoridades sauditas. Em 2024, o país recebeu 1,8 milhão de peregrinos autorizados.

Um diplomata relatou à mídia internacional que as pessoas estavam “exaustas” na jornada de sábado, quando os fiéis se encontravam ao ar livre para a subida ao Monte Arafat, onde, segundo a tradição, o profetá Maomé pronunciou seu último sermão.

Anteriormente, uma testemunha já havia relatado à imprensa que havia corpos cobertos com o pano branco Ihram, que é um traje usado pelos peregrinos, na beira da estrada perto de Mina, localizada nos arredores de Meca.

O Ministério de Saúde saudita pediu, inclusive, que os peregrinos continuassem bebendo água e utilizassem guarda-chuvas para evitar insolação e doenças relacionadas com o calor.
Além do Egito, também morreram nacionais de países como Malásia, Paquistão, Índia, Jordânia, Indonésia, Irã, Senegal, Tunísia e do Curdistão iraquiano. É válido ressaltar que várias pessoas estão desaparecidas e muitos parentes estão fazendo buscas pelos hospitais da região.

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com