32 C°

.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Mundo

Ex-assessora da polícia acusa prefeito de Nova York de agressão sexual

quarta-feira, 20 de março 2024

O prefeito Eric Adams, de Nova York, está sendo processado por uma ex-assessora do departamento de polícia da cidade que o acusa de tê-la agredido sexualmente em 1993, quando ambos eram funcionários do departamento de trânsito. Conforme o documento, ele teria exigido favores sexuais em troca de ajudá-la a conseguir uma promoção no trabalho.

O processo foi aberto no início da semana e a autora afirma que o atual prefeito usou de sua posição para fazer tal proposta a ela. Adams, por sua vez, negou as acusações e argumentou não conhecer a mulher. Em novembro, foi apresentada uma intimação na Suprema Corte do Condado de Nova York, conforme a Lei de Sobreviventes Adultos do estado. Além dele, estão sendo processados o próprio departamento de trânsito da polícia e a Associação dos Guardiões, que é uma ordem fraterna da instituição da qual o acusado era membro à época dos fatos.

No documento judicial, é relatado que a ex-assessora era preterida para promoções, mesmo tendo sido aprovada nos exames promocionais e supostamente ter sido informada que seria a “próxima na fila” para subir de cargo. No período, Adams era considerado parte do “alto escalão” da organização fraterna citada e a mulher teria contado a ele sobre os problemas que enfrentava para conseguir a promoção.
O atual prefeito então, teria se oferecido para levá-la para casa, mas, na verdade, a teria levado para um terreno baldio, onde pediu por atos sexuais e também se expôs à ela. Após recusar as tentativas de Adams, a mulher afirma que foi deixada em uma estação de metrô.

A consultora jurídica da corporação da cidade de Nova York, Sylvia O. Hinds-Radix, disse em comunicado que “enquanto analisamos a denúncia, o prefeito nega totalmente essas alegações ultrajantes e os eventos aqui descritos; esperamos plena justificação no tribunal”. “Em 1993, Eric Adams foi um dos mais proeminentes oponentes públicos do racismo dentro do NYPD, razão pela qual as alegações do processo de que ele tinha qualquer influência sobre as promoções de funcionários civis são ridículas”, garantiu em outro trecho do texto.

Além de agressão sexual, a ex-assessora está processando o prefeito por agressão e por imposição intencional de sofrimento emocional. A cidade de Nova York e o departamento de trânsito, por suas vezes, estão sendo processados por negligência. Todos os réus devem responder ainda por discriminação de gênero, assédio sexual, retaliação e por permitir um crime de violência motivada por gênero.
“Ela sabia que abrir este processo lhe causaria desafios pessoais significativos, mas o fez mesmo assim, porque acredita que os abusadores sexuais devem ser responsabilizados, não importa quem sejam. Seu destemor e sua busca por justiça são tão inspiradores quanto importantes” defendeu a advogada Megan Goddard, que representa a ex-assessora e foi a responsável por abrir o processo.

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com