32 C°

terça-feira, 30 de novembro de 2021.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Mundo

Facebook foi usado para incitar tráfico humano

Do tráfico de mulheres em Dubai aos cartéis de drogas no México, da limpeza étnica na Etiópia a ataques contra muçulmanos na Índia, o Facebook tem sido utilizado para incentivar atividades criminosas e discurso de ódio contra minorias e falhou em proteger seus usuários em zonas de conflitos e em países onde a desinformação tem potencial de causar mais danos.

Segundo documentos internos vazados por uma ex-funcionária e divulgados nos últimos dias por um consórcio de 17 veículos de comunicação, a empresa se expandiu globalmente sem investir o suficiente na moderação de suas plataformas, especialmente em países onde não se fala inglês. A companhia opera em mais de 190 países e tem mais de 2,8 bilhões de usuários mensais que postam conteúdo em 160 idiomas.

Os documentos foram recolhidos por Frances Haugen, que trabalhou na equipe dedicada à integridade cívica no grupo de Mark Zuckerberg, antes de deixar a empresa, em maio, e enviados ao Congresso americano e ao grupo de meios de comunicação –a série vem sendo chamada de Facebook Papers ou Facebook Files.

Esforços
Apesar de esforços para enfrentar a desinformação terem sido bem-sucedidos em alguns lugares, a resposta tem sido insuficiente em vários outros, afirmam as reportagens do consórcio. No fim de 2020, por exemplo, um relatório interno mostrou que apenas 6% do conteúdo de ódio postado em árabe no Instagram –rede social que faz parte do grupo– foi detectado. Outro estudo mostrou que menos de 1% do material classificado como discurso de ódio em um período de 30 dias no Afeganistão foi identificado pelas ferramentas de moderação automática.

Anúncios atacando mulheres e pessoas LGBTQ raramente foram sinalizados no Oriente Médio, e uma pesquisa recente no Egito revelou que usuários têm medo de serem presos ou atacados após postarem suas visões políticas na plataforma, informou nesta segunda-feira (25) o Politico, um dos integrantes do consórcio de imprensa que teve acesso aos documentos.

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com