32 C°

.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Nacional

Bitcoin lidera rendimentos no trimestre, e Ibovespa fica em último lugar

sexta-feira, 29 de março 2024

O bitcoin continua em trajetória de alta e liderou os rendimentos de aplicações no primeiro trimestre de 2024. Entre janeiro e março, a criptomoeda saltou 72,20%, superando com folga retornos de índices de ações locais, como mostra levantamento de Einar Rivero, diretor da Elos Ayta Consultoria.
Neste ano, o criptoativo foi favorecido pela aprovação dos primeiros fundos negociados em Bolsa (ETFs, na sigla em inglês) de bitcoin nos Estados Unidos, que facilitou o acesso ao ativo e atraiu investidores para o mercado. A mera expectativa pela regulação já havia impulsionado o bitcoin em 2023.
Após a aprovação, fundos como Blackrock e Fidelity começaram a vender produtos regulamentados, e gigantes financeiros americanos investiram bilhões de dólares na criptomoeda.
A aplicação que surpreendeu, no entanto, foi o ouro, que teve valorização de 21,13% e ficou em segundo lugar no ranking, após ter registrado queda no ano passado.
Nos últimos meses, o metal atingiu valores recordes beneficiado pelas expectativas de corte de juros nos Estados Unidos. Além disso, houve forte volume de compra do metal por bancos centrais de países emergentes e por compradores da China, que vive uma crise imobiliária e enfrenta queda nas ações locais.
Completando o pódio, o índice BDRX, que mede o desempenho de BDRs (Recibos Depositários Brasileiros, na sigla em inglês), subiu 15,88%. Esses papéis são negociados na Bolsa brasileira e replicam índices de companhias estrangeiras.
Como pano de fundo, os mercados acionários americanos seguem operando em patamares recordes impulsionados pelas big techs, em meio a expectativas sobre ferramentas de inteligência artificial. A Nvidia, em especial, atingiu neste mês seu maior valor de mercado da história ao superar a marca de US$ 2 trilhões.
Na ponta negativa, o Ibovespa registrou o pior desempenho entre os ativos analisados, apresentando queda de 4,53% no trimestre. O principal índice da Bolsa brasileira foi impactado pela saída de recursos estrangeiros da B3, em meio ao adiamento de apostas sobre o início do afrouxamento monetário nos EUA.
Ainda no terreno negativo, o Idiv (Índice de Dividendos) e o Índice de Small Caps, ambos da B3, registraram recuos de 3,81% e 4,09%, respectivamente.
O Idiv, que reúne companhias da Bolsa que se destacam pela remuneração a investidores, foi especialmente afetado pela forte quedas as ações da Petrobras neste mês, após a petroleira ter decidido reter os dividendos extraordinários previstos para o trimestre.
Na renda fixa, o IMA Geral, índice composto por títulos de dívida pública, e o CDI tiveram valorização de 1,62% e 2,58%, respectivamente.
Já a poupança, umas das aplicações mais populares do país, teve rendimento de 1,69%, ocupando o sétimo lugar no ranking.

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com