32 C°

.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Nacional

Especialistas criticam falta de manutenção em sistema antienchente de Porto Alegre

quinta-feira, 16 de maio 2024

Ao todo, 11 especialistas afirmam que o sistema de proteção contra inundações e de drenagem de água das chuvas de Porto Alegre não funcionou por falta de manutenção adequada. Os profissionais avaliam que o mecanismo deveria ter sofrido intervenções depois da última inundação, sete meses atrás.
As informações constam em manifesto direcionado à população da Capital gaúcha e elenca medidas a serem tomadas de forma emergencial e outras a serem implementadas depois que as águas baixarem. Porto Alegre deixa de gastar 23% do orçamento para manutenção do sistema contra cheias.
De acordo com os profissionais, o mecanismo é “robusto, eficiente e fácil de operar e manter”, mas que não recebeu manutenção e nem foi ampliado como poderia. Construído para prevenir catástrofes como a enchente de 1941, o sistema é composto por 68 km de diques de terra; 2,65 km de muro na avenida Mauá, no Centro da cidade; 14 comportas e 23 casas de bomba espalhadas pelo município.
“Esse sistema, quando totalmente fechado, impede o extravasamento das águas sobre a cidade. Impede a inundação até a cota de 6 m acima do mar”, cita trecho do manifesto. A água é retirada da cidade por meio do bombeamento das casas de bombas, diques internos e condutos forçados (dutos que levam as águas para o Guaíba em dutos completamente fechados desde pontos mais altos). Ou seja, os dois sistemas, de proteção contra inundações e de drenagem, precisam funcionar de forma integrada, segundo os especialistas.
“Não tem a necessária manutenção permanente, especialmente em relação às comportas, tanto ao longo do muro e abaixo da av. Castelo Branco, bem como as comportas junto às casas de bombas. Os diques e os muros não vazam. Os vazamentos estão em boa parte das comportas sem manutenção”, afirmam os especialistas.
Eles dizem que as deficiências ficaram visíveis na inundação de setembro de 2023. “No ano passado, quando o sistema foi acionado, durante as inundações com início no Vale do Taquari e que também inundaram a região metropolitana, as deficiências nas comportas ficaram visíveis, fáceis de serem sanadas, mas não foram. As próprias casas de bombas, bem como as estações de bombeamento de Água Bruta estão inundadas.”
Os profissionais afirmam que é preciso fechar os vazamentos nas comportas para evitar a entrada e o retorno da água do Guaíba, recompor os condutos forçados e bombear a água da inundação de Porto Alegre para o Guaíba por meio das casas de bombas ou outra forma.

Medidas emergenciais sugeridas
pelos especialistas

  1. Com uso de mergulhadores, vedar as comportas do muro e a av. Castelo Branco com sacos permeáveis à entrada de água, preenchidos com areia misturada com cimento, borrachas e parafusos. A prioridade seria a comporta 14, que invadiu o bairro Navegantes;
  2. Também com mergulhadores, vedar as comportas e colocar ensecadeiras nas casas de bombas com “stoplogs”, elementos de controle de engenharia hidráulica que são usados para ajustar o nível de água, solda sub-aquática e bolsas infláveis de vedação;
  3. Vedar hermeticamente as tampas violadas dos condutos forçados Polônia e Álvaro Chaves;
  4. Com as casas de bombas secas e protegidas por ensecadeiras, reenergizá-las eletricamente, o que pode ser realizado com redes paralelas de cabos isolados pela concessionária de energia. Se não for possível, geradores movidos a combustível; e
  5. Caso não seja possível operar imediatamente as casas de bombas, utilizar bombas volantes de grande vazão para drenar o centro histórico e os bairros da região norte da cidade.

Ações a serem implementadas após as águas baixarem

  1. O Departamento Municipal de Água e Esgoto necessita imediatamente consertar e, se necessário, realizar eventuais substituições das comportas do sistema de proteção contra inundações;
  2. Regularizar o funcionamento das casas de bombas;
  3. Retomar o Plano de Desenvolvimento da Drenagem Urbana, elaborado desde 1998;
  4. Completar, aperfeiçoar e manter o Sistema de Drenagem Urbana, manter e aperfeiçoar permanentemente o Sistema de Proteção contra inundações; e
  5. Estudar a ampliação e o aperfeiçoamento, a nível estadual, de alternativas para os sistemas de proteção contra inundações, em especial, a região metropolitana de Porto Alegre.

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com