32 C°

.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Opinião

230 anos da morte de Maxime Robespierre:

quinta-feira, 27 de junho 2024

“Iluminismo e Revolução Francesa”
“Para o historiador, todos os acontecimentos, mesmo os remotos, têm atualidade e vida. Mas isso é ainda mais verdadeiro no caso da Revolução Francesa de 1789, que transformou o modo de vida até daqueles que pouco souberam ou sabem dela até hoje em dia. Não será exagero dizer que ela ajudou a dar forma ao mundo ocidental contemporâneo, moldando as instituições e os ideais que nos animam e que consideramos universais.”[Jorge Grespan, Revolução Francesa e Iluminismo, Ed.Contexto]
Robespierre e os jacobinos presidiram a fase mais radical da Revolução Francesa. Esse radicalismo, entretanto, deve ser compreendido sob dois aspectos. Primeiramente, ele diz respeito a uma legislação social que atendia, em certo grau, a duas reivindicações das massas populares: o controle sobre os preços dos bens de primeira necessidade e leis que favoreciam a expansão da pequena propriedade, facilitando o acesso à terra ao pequeno campesinato, medidas que desagradaram tanto à burguesia comercial como aos grandes proprietários rurais. Mas o radicalismo atribuído ao governo jacobino também se refere ao recurso a uma justiça de exceção, destinada a reprimir os “inimigos da Revolução”. Essa política de “Terror” buscava satisfazer a exigência popular de uma justiça revolucionária que erradicasse quaisquer vestígios aristocráticos da sociedade francesa, mas ela também foi utilizada para fins de eliminação de toda oposição política ao governo – e, nesse processo, foram visados tanto os elementos à direita dos jacobinos (os monarquistas, os brissotinos, os dantonistas) como os grupos mais à esquerda e mais próximos das classes populares (os “Enraivecidos”, os hebertistas), que defendiam a instauração da democracia direta. Assim, por um lado, a legislação social e a repressão aos ricos desagradavam aos setores mais conservadores da sociedade francesa; por outro, a implantação de uma ditadura e a incapacidade do governo jacobino de fazer a transição para uma democracia direta gelou sua relação com as massas populares, que não intervieram para defender o governo revolucionário quando do golpe de 1794. Esse isolamento político explica a queda dos jacobinos, e a subsequente execução de Robespierre e seus aliados.
No fundo, Robespierre é um personagem tão decisivo quanto trágico, e encarna algumas das contradições da própria Revolução: um opositor da pena de morte que recorreu ao Terror como método de governo, um apologista da democracia direta que se viu à frente de uma ditadura de salvação pública.

FERNANDO MAGALHÃES
ASS. TÉC. DA ALECE

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com