32 C°

quarta-feira, 1 de dezembro de 2021.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Opinião

Emprego e renda

A economia brasileira ainda patina, apesar de alguns sinais de recuperação. De ato, a taxa de desemprego no Brasil recuou para 13,2% no trimestre encerrado em agosto, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A baixa foi puxada pelo aumento de pessoas ocupadas, principalmente em postos de trabalho informal. A abertura de vagas, contudo, veio acompanhada por quedas recordes, em termos percentuais, no rendimento médio. Ou seja, houve maior geração de empregos, mas com uma renda inferior. Isso guarda relação com a volta do trabalho informal, que costuma registrar salários menores, e a inflação mais alta.

No trimestre anterior, até maio, a taxa de desemprego estava em 14,6% (1,4 ponto percentual acima da mais recente). O indicador era de 14,4% no intervalo de junho a agosto de 2020. Com o novo resultado, o número de desempregados foi estimado em 13,7 milhões no país. O resultado representa baixa de 7,7% (menos 1,1 milhão de pessoas) ante o trimestre terminado em maio e indica estabilidade na comparação anual.

Os dados são da Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua). Se, por um lado, a vacinação contra a Covid-19 e a reabertura das atividades econômicas vêm estimulando a retomada da população ocupada, por outro, é preciso que as pessoas continuem se vacinando, a fim de termos um ambiente mais seguro para a retomada mais consistente da economia, de modo a gerar emprego e renda em uma velocidade mais satisfatória. O povo brasileiro, mais do que nunca, está querendo a volta da normalidade.

EDITORIAL

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com