32 C°

.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Opinião

Lula ofende a história banalizando o Holocausto

quarta-feira, 21 de fevereiro 2024

Em visita à Etiópia, na tentativa de criticar as ações de Israel na Faixa de Gaza, o presidente Lula fez o seguinte paralelo: “O que está acontecendo na Faixa de Gaza e com o povo palestino não existe em nenhum outro momento histórico. Aliás, existiu: quando o Hitler resolveu matar os judeus”, disse o presidente brasileiro.
A comparação descabida da guerra em Gaza com o Holocausto que exterminou 6 milhões de judeus na Segunda Guerra – recebendo inclusive o aplauso do grupo terrorista Hamas, que agradeceu a Lula nas redes sociais -, ofende não somente os judeus, mas as consciências justas do mundo todo.
É plenamente legítimo que Lula critique Israel por crer exagerada sua resposta ao ataque terrorista de 7 de outubro do ano passado, o maior morticínio de judeus depois da Segunda Guerra. Mas é inaceitável comparar a reação israelense ao extermínio genocida promovido pela Alemanha nazista e seus Estados-satélites contra os judeus. Imaginar qualquer equivalência moral entre os nazistas e os judeus é uma ofensa ao trauma de um dos maiores genocídios já perpetrado contra um povo na história da humanidade.
O Brasil sempre foi um refúgio para perseguidos de outras partes do mundo. Recebeu e integrou à sociedade imigrantes de todas as origens nacionais, étnicas e religiosas, entre os quais árabes (cristãos e muçulmanos) e judeus. Essa característica acolhedora tradicionalmente deu à diplomacia brasileira uma posição privilegiada de equilíbrio em relação aos conflitos recorrentes no Oriente Médio. Porém, esses atos e declarações recentes do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, põem em xeque esse equilíbrio, agridem os fatos e, no mínimo, sugerem que ele desconhece a História.
Durante o Holocausto, os nazistas, liderados por Hitler, caçaram sistematicamente a população judaica da Europa com base em uma ideologia racista, privaram-na de todos os direitos, cercaram-na em guetos e campos e exterminaram-na, aniquilando cerca de dois terços da população de judeus do continente.
Os comentários de Lula atingem um ponto sensível em Israel, um país estabelecido como um refúgio para os judeus após o Holocausto. Israel rejeita qualquer comparação entre a sua conduta na guerra em Gaza e o Holocausto.
Portanto, a fala de Lula é ignorante, pois exibe desconhecimento básico do que foi o Holocausto.
É irresponsável, pois exibe descaso com consequências diplomáticas – ser levado ou não a sério é uma delas.
É indecente, pois ofende vítimas e sobreviventes de um crime sem igual.
É imoral, pois pretende fazer uso político mesquinho de algo que colocou em xeque os fundamentos da nossa cultura e civilização.
Enfim, ao dizer que a guerra de Israel contra os terroristas do Hamas se assemelha ao Holocausto, Lula, a um só tempo, vandalizou a História, a memória das vítimas da indústria da morte nazista e os interesses do Brasil.

JOSÉ MARIA PHILOMENO
ADVOGADO
E ECONOMISTA

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com