32 C°

9 fevereiro 2024.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Opinião

O impacto das palavras

sexta-feira, 09 de fevereiro 2024

Atribui-se a Peter Drucker a frase que diz “não haver nada tão inútil quanto fazer com eficiência o que não deveria ser feito.” Abstraindo-se aqui ter sido o reportado autor do mundo dos negócios, bem como se tendo em relevo o fato de que quando o tema envolve mercado, o resultado precisa ser certo ou previsível, a frase, sobretudo nos dias de hoje, pode ensejar uma reflexão relativamente séria e do mesmo modo impactante: a possibilidade de se ter efeito benéfico também com algo sem utilidade, à primeira vista.
O tema aqui em foco, então, tem relação com a chamada psicolinguística, essa, enquanto ciência, que possui como estudo específico “os processos de codificação e descodificação, e isso levando em conta as características próprias dos sujeitos humanos que trocam ideias.” [Introdução à psicolinguística, Jean-Michel Peterfalvi, p. 31]. É que em sendo a vida uma constante relação social, é possível que se fixem olhos para uma missão à qual não se atribua qualquer vantagem, mas que represente um profundo bem-estar àquele que a desenvolva, ainda que, como dito, não se almejem resultados. Ou, melhor dizendo: no mundo atual, qualquer ideia de eficiência ou de utilidade pode estar relacionada a algo bem subjetivo, que tanto pode render milhões, quanto pode trazer apenas uma satisfação extremada de prazer revigorante.
Então, definir o que deverá e o que não deverá ser feito é bem relativo, ainda que com propósitos pecuniários, tudo estando muito associado a diversos fatores, claro, tendo-se aqui a consciência de que o cientista Drucker, quando disparou o apotegma, fê-lo consciente de que tangenciava tudo que atinasse a vantagens comparativas.
Todavia, mais uma vez se fazendo abstração, agora quanto ao elemento metal em si, o certo é que a vida passou a ganhar sinais de que muito do que traga resultados econômicos pode, também, ensejar desgraças ou, na pior das hipóteses, perdas. E, por outro lado, aquilo que aparentemente seja despiciendo, ou que nem mesmo deveria ser feito, pode, um dia, virar ouro ou algo premiado, ou que, ao menos, atribua profundo respeito àquele efetivamente autor do feito.
O problema, nesse sentido, é que o mundo dos negócios, ao tempo em que traz impulsionamentos, geração de emprego e renda, também emite pérolas que se não foram bem analisadas, serão repetidas aos quatro cantos, a desencorajar especialmente os jovens. Esses que podem – os experientes mais ainda – encampar projetos de muito futuro, e que atendam a diversos segmentos, inclusive afetos a economias circulares, área essa que, num primeiro momento pode ser algo inútil ou que não deveria ser desenvolvida, mas que, em um momento social que bem se aproxima, dela dependerá todo o universo habitável.

RODRIGO CAVALCANTE
PROFESSOR UNIVERSITÁRIO E SECRETÁRIO DE AUDITORIA INTERNA NO TRT/7ª REGIÃO

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com