32 C°

.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Política

Os impasses na formação de chapas para eleição em Fortaleza

domingo, 31 de março 2024

A aproximação do período eleitoral já intensifica as movimentações da política cearense, em especial, na Capital. Restando pouco mais de seis meses para o primeiro turno das eleições municipais, em 6 de outubro, políticos e partidos traçam suas estratégias para a formação de chapas com candidaturas para a Prefeitura e Câmara Municipal.

No caso da disputa pelo Executivo, enquanto algumas pré-candidaturas estão definidas, outras ainda possuem impasses que terão de ser resolvidos nos próximos meses. Pelo calendário eleitoral, em julho, a partir do dia 20 e se estendo até dia 5 de agosto, devem começar as convenções partidárias, momento em os partidos deverão definir os candidatos que irão pleitear cargos nestas eleições.

Com um impasse que vem desde o ano passado, o PT caminha para uma definição. O partido tem cinco pré-candidatos à Prefeitura de Fortaleza: o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, deputado estadual Evandro Leitão; a deputada federal Luizianne Lins; a deputada estadual Larissa Gaspar; o deputado estadual Guilherme Sampaio e o assessor especial de Assuntos Municipais do Ceará, Artur Bruno.

No próximo dia 21 de abril o Diretório Municipal do partido realizará encontro de delegados para decidir quem será o seu representante na disputa. Por esse método, delegados eleitos pelos filiados do partido vão fazer a defesa de determinados nomes e, em seguida, fazer uma escolha. No próximo domingo (7) ocorrerá a eleição das chapas dos delegados, em uma primeira etapa desse processo.

Aliado do PT a nível de Ceará, o PSB pode lançar um nome para a disputa na Capital. Ao entrar para o partido no início do ano, o senador Cid Gomes vem defendendo uma candidatura própria da sigla socialista, mas ainda não anunciou nomes. Cid vem defendendo a tese de que não é bom “um partido só com as três principais posições”, referindo-se ao fato de o PT já ocupar a Presidência da República, o Governo do Ceará e podendo ocupar a Prefeitura de Fortaleza, caso sua candidatura saia vitoriosa desta eleição.

Usando o argumento do “compartilhamento de poder” e da “não-hegemonização da política”, o senador apoia que o grupo de partidos aliados ao governador Elmano de Freitas (PT) tenha uma única candidatura, mas não necessariamente com o PT na cabeça de chapa.
Outro aliado do PT, o PSD também cogita lançar candidatura à Prefeitura de Fortaleza, seja para prefeito ou vice. O deputado federal Célio Studart é o nome mais cotado para isso e ele deu mais um passo em direção a essa possibilidade na última semana ao pedir a exoneração da chefia da Secretaria da Proteção Animal (Sepa) do Ceará.

O parlamentar apontou que um dos motivos para o afastamento da Sepa foi a eleição, que impõe prazos para a desincompatibilização de cargos públicos. “Em ano eleitoral você tem um prazo para sair de cargos do Estado, que é o meu caso se houver a possibilidade de concorrer à Prefeitura, por exemplo”, disse em vídeo publicado na sexta-feira (29).

Também dentro do grupo de aliados do PT e do Governo do Estado, Psol e Rede Sustentabilidade lançaram, cada um, pré-candidaturas em Fortaleza. O primeiro partido anunciou o nome do produtor cultural Técio Nunes e o segundo, a ambientalista Cindy Carvalho. No entanto, as duas legendas compõem uma federação e, portanto, só um nome na cabeça de chapa poderá seguir adiante. Os dois partidos vão ter de chegar a um consenso sobre quem os representará na disputa.

Enquanto que partidos do campo do centro e da esquerda discutem se realmente vão lançar candidaturas próprias ou escolhem entre mais de um nome para a cabeça de chapa, os partidos do campo da direita têm seus nomes definidos para a disputa pelo comando em Fortaleza. O União Brasil tem como pré-candidato o Capitão Wagner. Já o PL apresentou o nome do deputado federal André Fernandes; o Novo anunciou o senador Eduardo Girão.

No caso desses três últimos, o impasse está na formação de alianças para, entre outras coisas, a definição de um nome para candidato a vice na chapa. Apesar de alinhados ideologicamente e tendo demonstrando disposição em formar uma aliança, nenhum dos pré-candidatos ou partidos têm sinalizado abrir mão de estar na liderança da candidatura, encabeçando uma chapa.
Já na chapa formada pelo grupo da atual gestão na Prefeitura de Fortaleza, o prefeito José Sarto, do PDT, é pré-candidato à reeleição, conforme relatam seus aliados. O nome para ser o candidato a vice deve continuar com o PSDB.
(Por Igor Magalhães)

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com