32 C°

.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Política

Potencial aliado do PT nas eleições, Técio Nunes critica fala do governador Elmano

quarta-feira, 19 de junho 2024

“Não é a esquerda que tem quer atualizar o seu debate sobre segurança pública. São os que governam que precisam atualizar o seu debate”, diz pré-candidato do PSOL

Kelly Hekally

Técio Nunes é terceiro entrevistado da Série Eleições 2024 do Estado CE / Foto: Dalila Lima / O Estado

Nome do campo de pautas progressistas, o pré-candidato pelo PSOL à Prefeitura de Fortaleza, Técio Nunes, criticou o governador Elmano de Freitas (PT) por declaração do início deste mês relacionada à segurança pública.

“Não é a esquerda que tem quer atualizar o seu debate sobre segurança pública, como disse o governador. Não se trata disso. São os que governam que precisam atualizar o seu debate sobre segurança pública”, disse o psolista ao jornal O Estado nesta terça-feira (18). Técio é um dos entrevistados da Série Eleições 2024, publicada às segundas-feiras nas plataformas digitais e impressa do veículo.

A fala do pré-candidato é uma referência ao que Elmano afirmou ao jornal O Globo, em pingue-pongue publicada no último dia 9.

“Nenhuma força política no país apresentou até agora uma proposta consistente. Mas a esquerda tem que se atualizar, porque por muito tempo enfatizamos que a injustiça social, a desigualdade e a pobreza são causas importantes da violência nos centros urbanos, e ainda acredito nisso. Só que não é a única causa”, apontou o petista, que tenta frear a crise de gestão e segurança pública instaurada no mês passado em seu governo.

Série Eleições 2024
Capitão critica Sarto, afaga Camilo e diz que André e Girão não têm perfil de conciliação
“A taxa do lixo é uma grande mácula desta Prefeitura”, diz Girão

Dias antes, o gestor havia afirmado que “bandido” passaria a ser “tratado como bandido” no Ceará. A tentativa de acalmar os ânimos da oposição teve como consequência a troca do titular da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), posto ocupado oficialmente desde 3 de junho por Roberto Sá, e o aumento do policiamento ostensivo nas ruas do Estado, medida também criticada por Técio.

“Todos os estudos já comprovaram que a segurança pública não se combate com mais polícia na rua. Do governo Cid [Gomes], passando pelo de Camilo [Santana] e agora com Elmano, o número de efetivo policial aumentou enormemente, mostrando que o problema não está aí. Não estou dizendo que não tem que ter policiamento, mas não é só isso que vai combater essa lógica [de insegurança]”, acrescentou.

Dando sequência às críticas, o produtor cultural que tem seu nome colocado pela primeira vez para disputar um cargo eletivo citou o prefeito José Sarto, a quem Técio acusou de fazer um “debate hipócrita” de que “segurança pública não é com o Governo do Estado” e ponderou que “a extrema-direita aposta no terror quando vai tratar de segurança pública e no armamento.

“Capturaram o debate da segurança pública e daí despolitiza o tema. Nós estamos apostando na mesma tese para combater esse processo de segurança pública. Há uma tomada de território pelas facções que é, sim, obrigação do município de enfrentar. Há anos, os jovens na periferia são criminalizados, e a gente não consegue ver resultado com essa política em desenvolvimento.

Acerca de seus oponentes da extrema-direita que pontuam acima dos 10% em pesquisas de intenção de votos ao Paço Municipal, Técio estabelece uma visão de rivalidade entre André Fernandes (PL) e Capitão Wagner (União Brasil).

“O André Fernandes se esforça muito para mostrar que é o cão fiel de [Jair] Bolsonaro [PL]. A principal crítica de André a [Capitão] Wagner é que Wagner não é um bolsonarista fiel. Então, não me surpreende ver a extrema direita colocada como força política social, com seus candidatos bem pontuados.

Questionado sobre se seu partido vai abrir mão de sua pré-candidatura para apoiar Evandro Leitão (PT), a exemplo de sua correligionária, Adelita Monteiro, Técio afirmou que, neste momento, não vê cenário para tal mudança. Adelita deixou de concorrer ao Governo do Estado em 2022 para apoiar Elmano.

Em resposta ao aceno ao petista, a psolista ficou com a titularidade da Secretaria de Juventude do Ceará (Sejuv-CE). A íntegra da entrevista com Técio Nunes será publicada na próxima segunda (24).

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com