32 C°

.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Colunista - Fernando Maia

A polarização que estraga

terça-feira, 14 de maio 2024

Observadores atentos às manobras de partidos antecipam prognósticos de crescimento nos primeiros passos da candidatura Evandro Leitão. O petista adotou um tom mais forte contra o prefeito Sarto Nogueira com críticas imediatas e bem articuladas nos seus pronunciamentos, trazendo a certeza de que os responsáveis pela sua campanha já deixam bastante claras as suas intenções. O Evandro de antes da provocação da taxa do lixo era uma pessoa com o perfil de bom moço, elegante, bonzinho e empolado, que disputava uma eleição com “lordes”. O que veio depois é outro competidor usando a ferramenta própria para o enfrentamento de gladiadores que não respeitam regras e muito menos princípios éticos. Mas isso é só o começo. Quando vier o desespero depois das primeiras pesquisas, a campanha vai piorar com os dois lados partindo para o vale tudo do salve-se quem puder. Logo-logo estaremos abraçando o pleito dominado pela polarização que estraga toda e qualquer eleição, obrigando o eleitor a escolher um candidato não pelos seus programas, mas por quem está por trás dele. E isso é um péssimo modelo para se escolher um candidato.

União necessária. Empenha-se o secretário Salmito Filho pela criação de um consórcio no Planalto da Ibiapaba, congregando todos os municípios da serra e do entorno. Muito bem recebida quando criou-se a Região Metropolitana da Ibiapaba, a ideia tem tudo para se formar um fortíssimo bloco eleitoral com quase 1 milhão de votos nos seus 16 municípios.

Estratégia com objetivo. De repente, sem surpresas, os dois candidatos com maiores chances de ir para o segundo-turno deixam de lado o tratamento ameno a ex-aliados e partem para o combate direto. Estamos falando de Evandro Leitão, do PT, e Sarto Nogueira, do PDT, que estavam juntos na última eleição.
Pacto de união. A escolha do candidato do governo à prefeitura de Fortaleza está cercada de dúvidas, podendo resultar em derrota. Na capital a oposição além do seu bom tamanho, apresenta candidatos competitivos, que já fizeram pacto de união para garantir apoio a quem for para o segundo turno.
Temendo o fanatismo. Quem tem acompanhado o mais ou menos dos movimentos oposicionistas, consegue sentir o justificado peso da preocupação do Capitão Wagner, que é oposicionista, mas não se acha ameaçado por governistas. Mas teme bolsonaristas como o fanático André.
Solução na Meca. Em Juazeiro está resolvido um problema que se julgava complicado, com a escolha de um vice para Fernando Santana. Chiquinho Feitosa, presidente do Republicano, entregou de bandeja Bruna Bender, filha do empresário Gilmar Bender, fechando a porta aos que queriam, mas não souberam manobrar.
Jogada perigosa. No processo sucessório de Juazeiro, – o mais importante do Cariri, – quem está sob-risco de muito perder é o ex-prefeito Raimundão e seu filho, Davi do Raimundão bem que poderia ser o vice na chapa de Fernando Santana, mas ao insistir em ser candidato, vai marchar com um MDB isolado.
Salvando municípios. Afirma o deputado Domingos Neto (PSD), que o seu projeto propondo mudanças na estrutura do Garantia Safra, tem como objetivo tornar a União menos exclusiva para Estados de safras marcadas por incertezas. O que não pode, diz ele, é ter municípios excluídos, todos necessitados desse benefício.
Promoção. O arcebispo de Fortaleza, Dom Gregório receberá das mãos do Núncio Apostólico no Brasil, Dom Giovanni di Quattro, o Pálio Episcopal, através do qual terá ampliada a sua autoridade como comandante da Igreja numa Arquidiocese de peso. Essa deverá ser uma das solenidades católicas mais importantes a ser assistida pelos católicos do Ceará.

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com