32 C°

sábado, 24 de julho de 2021.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Colunista - Fernando Maia

Consertando o Itamaraty

quinta-feira, 08 de abril 2021

No governo Bolsonaro, um de seus mais desastrosos erros foi o de colocar no Ministério das Relações Exteriores o pseudo-diplomata Ernesto Araújo, que se destacou por dar vexames e comprometer a filosofia do mega-diplomata Barão do Rio Branco, para quem diplomacia é construir pontes com bom relacionamento. Com a sua saída, abrem-se para os brasileiros expectativas de uma nova era para as relações internacionais. Como deixaram antever as declarações do novo chanceler, Carlos Alberto Franco, na sua posse à frente do Itamaraty.

De forma objetiva, ele destacou a tríplice missão a ser cumprida, sintetizada em saúde, economia e política ambiental. Contudo, foi no primeiro item, a situação sanitária, que ele focalizou os objetivos mais urgentes, citando inicialmente o resgate de boas relações com todos os outros países, que, como o Brasil, se acham seriamente abalados pela pandemia. Alberto Franco promete o reengajamento das embaixadas e consulados para entendimento direto com todos governos e laboratórios fabricantes de vacinas e de remédios, ampliando consultas com governantes e indústrias farmacêuticas. Para ele, só aportes de ajuda externa associado ao empenho interno deterá os males da covid-19. Entretanto, o êxito contra a pandemia, e a crise por ela gerada, somente será garantido com a união do Congresso Nacional, empresariado e sociedade.

Energia limpa. Consolidada a forte parceria entre a Fiec e o Sindicato de Energia e Serviços do Setor Elétrico, por iniciativa do presidente Ricardo Cavalcante. A meta é fechar questão em defesa do fortalecimento e consolidação das empresar de energia solar e eólica, contra as quais a Enel e outras distribuidoras dificultam com frequentes ameaças de taxar o setor.

Desserviço. Para o deputado Eduardo Bismark (PDT-CE), o interesse dos diretores da Anvisa em discutir com membros do Consórcio de Governadores do Nordeste sobre as 39 milhões de vacinas Sputnik V, esbarra naquela agência reguladora, exigindo vistoriar a empresa russa como se ela estivesse ofertando gato por lebre.
Contratos. Mesmo com a crise financeira em que a pandemia mergulhou o País e o Ceará, o governador Camilo Santana, apesar de a educação estar paralisada, não hesitou em contratar e nomear 1.250 novos professores recém-aprovados em concurso público para preenchimento de vagas na rede pública estadual.
Controvérsias. Ontem, mais uma controvérsia na bancada federal do Ceará, e dessa vez devido à aprovação da compra de vacinas pela iniciativa privada. Para o deputado Heitor Freire (PSL) a medida vem desafogar o SUS. Já o deputado José Airton (PT), que votou contra, vê a medida como oficialização da fura-fila das vacinas.
Negociatas. O senador Cid Gomes (PDT-CE) requereu, à Comissão de Assuntos Econômicos, informações sobre manobras articuladas para a venda de setores importantes da Caixa Econômica pelo ministro Paulo Guedes, da Economia. Segundo ele, querem vender as melhores fatias, ficando na Caixa os setores deficitários.
Seguindo o TCE. Seguindo orientação do Tribunal de Contas do Estado, o governador Camilo Santana enviou à Assembleia Legislativa PEC com mudanças na política de investimentos para o interior do Estado. A verdade é que em muitos municípios, por incompetência ou má-fé de gestores, existem “buracos” na administração desses recursos.
Jogando calados. Na Câmara Municipal de Fortaleza, tem se tornado mais explícita a maneira como oito pequenos partidos começam a se articular para a campanha de 2022. Tendo em vista a proibição de coligações proporcionais, essa turma quer se autovalorizar, lançando sem medo de decepção, nome próprio ao Palácio da Abolição.

“É difícil de entender como num país como o Brasil, onde a sociedade é colocada sob a gestão de corruptos eleitos por venais, esta sociedade ainda consegue sobreviver”. Sérgio Buarque de Holanda, historiador.

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com