32 C°

sábado, 8 de maio de 2021.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Colunista - Cláudio Humberto

Projeto mira redes sociais e atinge a imprensa

segunda-feira, 03 de maio 2021

Agora sim, a CPI da Covid pode ter alguma utilidade
Deputado Marco Feliciano, sobre investigar governadores e prefeitos na pandemia

P rojeto do deputado Denis Bezerra (PSB-CE), em tramitação na Câmara, pode ferir de morte a liberdade de imprensa. A pretexto de alterar o Marco Civil da Internet, que mal entrou em vigor, o projeto tenta redefinir o significado de notícia. Se aprovado, obrigará empresas como Google e Facebook a promover a pluralidade e diversidade de notícias, relativizando a liberdade de expressão, e a remunerar empresas noticiosas pelo uso de seus conteúdos nas plataformas digitais.

Pela culatra
Lei australiana obrigando redes sociais a pagar por notícias reproduzidas fez o Facebook bloquear todo o noticiário e não pagar por ele.

O autor gosta
À coluna, Denis Bezerra disse que seu projeto pretende “evitar o uso gratuito de trabalho intelectual jornalístico”.

Inspiração fascista
Sobre críticas de o projeto ter inspiração fascista e o efeito na liberdade de imprensa, o deputado diz que “não tem censura, nem restrição”.

Sonho autoritário
O projeto de Denis Bezerra pretende, em resumo, definir notícia e abrir porta ao controle da mídia, sonho de consumo autoritário da esquerda.

Sem a máscara
Renan insultou Tasso em razão do voto aberto, na eleição de Davi Alcolumbre, que derrotou o alagoano na eleição para presidir o Senado.

Excepcional?
O alagoano também agradeceu ao “querido amigo” senador Humberto Costa (PT-PE), a quem chamou de “excepcional ministro da Saúde”.

Sincericídio
Costa esteve no centro do escândalo das ambulâncias, no governo Lula, e disse que o PT precisa assumir a corrupção e pedir desculpas ao Brasil

Pelegos mentem
Cartaz enorme próximo ao balão da D. Sarah, em Brasília, mostra fotos de dois conhecidos pelegos e uma mentira grotesca: a reforma administrativa “será o fim do atendimento público gratuito”. Vergonha.

Supremo na CPI
O ministro Marco Aurélio Mello, do STF, também é alvo de requerimento de convocação por ter decidido, em março de 2020, que governadores e prefeitos têm poder de decretar lockdown, ou isolamento, definir o que são serviços essenciais etc. Ao governo federal cabe apenas “diretrizes”.

Esses franceses…
A França de Emmanuel Macron, que proibiu os voos do Brasil, registra o dobro do índice brasileiro de novos casos de covid, segundo o New York Times. E pesquisa indica que 59% dos franceses não querem se vacinar.

Coluna, 23 anos
A Coluna Cláudio Humberto completa 23 anos nesta segunda-feira (3), com 8.401 edições ininterruptas publicadas desde 1998, no total, em mais de 50 jornais, além do site Diário do Poder.

Falta aprovar
Há requerimentos de convocação, na CPI da Pandemia, dos secretários estaduais de Saúde de Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Sergipe e Rio Grande do Norte.

Conchavos
Governadores hostis a Bolsonaro, como o gaúcho Eduardo Leite (PSDB), têm feito peregrinação no Senado. Muitos não querem nem ouvir falar no desgaste de uma convocação para depor na CPI da Pandemia.

Brasil conserva
Se a Humidade se comportasse como a Alemanha, seriam necessários três planetas para saciar o consumo de recursos naturais, diz a ONG Global Footprint Network. O Brasil tem um dos melhores resultados: 1,8.

No interior, melhor
De acordo com pesquisa da CNI, o sentimento de adesão ao isolamento social é maior nas cidades do interior do país (35%) do que nas capitais e regiões metropolitanas (28% e 25%, respectivamente).

Pensando bem…
…na pior hipótese, se não servir para outra coisa, talvez a CPI meta a covid na cadeia.

Era dia de jogo da Seleção Brasileira na Copa América quando a então presidente Dilma Rousseff ciceroneava os parlamentares aliados, em coquetel no Palácio Alvorada, esforçando-se para parecer simpática, quando a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, a interrompeu: “Presidenta, temos que terminar o encontro.” A chefe rebateu com seu jeito búlgaro de ser: “Mas quem tem que ter pressa aqui sou eu”. Ideli explicou: “É que tem jogo do Brasil, e eles querem assistir.” Visivelmente irritada, ela “convidou” os presentes a irem embora, deu as costas e saiu da sala sem se despedir de ninguém.

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com